Procurei por amor nos teus olhos

Nota do editor: este poema foi feito por uma autora anônima, que sofria com um marido viciado em pornografia, e publicado no blog de Tim Challies, como indicado ao fim.

Guardei para ti o meu melhor.
As outras garotas podem ter se entregado,
Mas eu acreditei no sonho.
Um marido e uma mulher, unidos num só para sempre.

Nervosa, da primeira vez, precisando da segurança do seu amor,
Procurei-o em teus olhos
Poucos centímetros do meu.
Mas o que vi fez minha alma correr e se esconder.

Para longe fora a gentileza que eu conhecia,
Vi um estranho, frio e duro,
Distante, mau, revoltante.
Procurei o amor nos teus olhos
E minha alma chorou.

Quem sou eu, para não fazer amor comigo?
Por que eu sinto como se eu nem estivesse aqui?
Eu não importo.

Sou um joguete numa brincadeira devassa.

Não um objeto de gentil devoção.

Onde está você?

Vão-se os anos
Mas a dureza em teus olhos não.
Você pensa que sou fria
Mas como posso me aquecer para olhos que estão fazendo ódio com outra
Ao invés de fazer amor comigo?

Eu sei onde você está.
Eu vi as fotos.
Agora eu sei o que precisa para chamar tua atenção.
Mulheres… pessoas como eu
Torturadas, humilhadas, odiadas, usadas,
Descartadas.
Imagens marcadas com fogo no teu cérebro.
Como você pensou que elas não se mostrariam nos teus olhos?

Será que você imaginou
A primeira vez que você pegou uma imagem imunda
Que você estava condenando toda intimidade entre nós,
Naufragando nosso casamento,
Quebrando o coração de uma esposa que você conheceria anos depois?

Se tivesse parado aí, eu o suportaria.
Mas você trouxe o mal para dentro da nossa casa
E os nossos pequenos o acharam.
Seis e oito anos.
Eu os ouvi rindo, eu os encontrei olhando com cobiça.

Mãos atadas, bocas amordaçadas.
Lente de olho-mágico, contorcendo a realidade,
Transformando a mulher distorcida em seios exagerados.
Os olhos assombrados, janelas a uma alma atormentada,
Empenados pela foto para sumirem no pano de fundo,
Porque almas não importam, só corpos
Para que os homens os consumam.

Os meninos,
Meus meninos,
Rindo e cobiçando a tortura sexual
De uma mulher, uma mulher como eu.

Uma imagem marcada com fogo em seus cérebros.

Será que a alma de suas esposas terá que correr e se esconder como fez a minha?
Quando isso vai acabar?

Posso te dizer uma coisa. Na sua alma não acabou.
Isso te devorou. É um câncer.
Você acha que pode viver numa dieta à base de ódio
E sair do seu quarto recluso para amar?

Você diz as palavras, mas o amor não tem peso na sua boca
Quando o ódio governa seu coração.
Sua crueldade devorou cada vestígio do homem
Com quem eu pensei que tinha me casado.
Será que você já sonhou que ele te consumiria de tal maneira
Que sua esposa e filhos teriam que viver com medo de sua ira?

É isso que você se tornou
Alimentando sua alma com veneno.

Nunca usei pornografia.
Mas ela devastou meu casamento, minha família, meu mundo.

Valeu a pena?


Por: anônima. Website: https://www.challies.com/quotes/i-looked-for-love-in-your-eyes/ © Tim Challies, 2010. “I looked for love in your eyes”.

Original: Procurei por amor nos teus olhos. © The Pilgrim. Website:  thepilgrim.com.br. Todos os direitos reservados. Tradução: Arthur Guanaes.

O ponto de vista deste texto é de responsabilidade de seu(s) autor(es) e colaboradores direito, não refletindo necessariamente a posição da Pilgrim ou de sua equipe de profissionais.

Imagem de Unsplash.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *