O que eu faço com a minha ansiedade? Deixe Deus usá-la! (Pierce Taylor Hibbs)

Eu não consigo contar quantos gurus de ansiedade e livros de autoajuda assumem que você precisa se livrar da ansiedade. É uma resposta natural, então não culpo essas pessoas. Na verdade, eu mesmo pensava assim. Mas agora eu me oponho a isso o máximo que consigo. Por quê? Porque o que você faz com a sua ansiedade é crítico. Mais especificamente, o que você faz com a sua ansiedade enquanto cristão é crítico. Para os cristãos, a vida não se trata de cortar cada grama de sofrimento de sua experiência cotidiana. A vida não gira em torno do conforto, mas sim da conformidade (Rm 8.29). Não se trata de cair na tranquilidade, mas de crescer em ardor para ter comunhão com o Deus que fala.

Em breve publicarei o meu livro Abatidos, mas não destruídos: um guia para cristãos ansiosos. Um dos temas nesse livro é a minha resposta constante a seguinte questão: o que você faz com a sua ansiedade? A resposta é simples: deixe Deus usá-la para lhe moldar.

Agora, eu sei que essa resposta parece um pouco ambígua. Como exatamente Deus nos “molda” por meio da ansiedade? E por que iríamos querer isso, afinal? Deixe-me responder uma questão de cada vez.

Como Deus nos molda por meio da ansiedade?

O moldar é um processo pessoal. Deus — as três pessoas divinas da mesma essência — é quem molda. Ele usa qualquer material: metal, madeira, pedra ou barro. Ele parece preferir o último. Podemos ser duros nas suas mãos — nossos espíritos são rochosos, secos e rígidos —, mas isso não significa que ele não vá nos moldar. Ele tem as suas ferramentas — a sua palavra, nossas orações e louvor, nossa experIência, nossos relacionamentos. Ele usa tudo. O nosso Pai é um oleiro (Jr 18.6). As nossas mãos estão molhadas com graça, sempre ostentando o poder da mudança, o poder da sua boa vontade. O seu Filho é o modelo, o padrão segundo o qual fomos feitos, o padrão ao qual devemos nos conformar (Rm 8.29). E o Espírito? Ele é a pressão e o tornear que emerge das pontas dos dedos de nosso Pai, tornando-nos mais “Filiais”

Isso parece normal para muitos, mas o que significa ser moldado segundo o Filho de Deus? Essa é a real questão, não é? Sem uma resposta concreta, provavelmente vamos ignorar todo o processo de moldar, já que não podemos vê-lo. Porém, tudo que precisamos fazer é analisar a vida de Cristo aos poucos a partir das Escrituras. A forma como Cristo interagia com Deus, a sua palavra e outras pessoas — é assim que nós devemos interagir. Aqui estão algumas questões de aplicação feitas a partir do Evangelho de Lucas (somente os primeiros 6 capítulos!). Sempre que você responder “sim” a uma dessas perguntas qualquer dia, então você está no processo de se conformar à imagem de Cristo pelo poder do Espírito de Deus. Não importa se você pretendia realizar ou planejava realizar isso. É o que está acontecendo.

  • O seu coração pula de alegria quando pensa na proximidade de Cristo, como João Batista pulou no ventre materno ao ver Cristo se aproximando? (Lc 1.44)
  • Você se senta aos pés da palavra de Deus, fazendo perguntas e implorando por respostas? Você faz isso acima de qualquer outra coisa? (Lc 2.46)
  • Você estende a sua mão para a palavra de Deus antes de estender para pegar o café da manhã? (Lc 4.1-4)
  • Você segura a sua língua (mesmo dentro da sua cabeça) quando tentado a barganhar com Deus, tentando a sua graça e amor? (Lc 4.12)
  • Você tenta alcançar quem é marginalizado por um grupo maior de pessoas? (Lc 5.13)
  • Você dá uma segunda chance para as pessoas? (Lc 5.27)
  • A razão de outros excluírem, zombarem e escarnecerem de você é Cristo? (Lc 5.22)
  • Você dá a outra face a um punho cerrado, mesmo se for um punho feito de palavras? (Lc 6.29)
  • Você faz atos desinteressados por quem não gosta de você? (Lc 6.35)
  • Você deixa de julgar tendo em vista o quanto que você mesmo já foi julgado? (Lc 6.37)

O nosso moldar acontece de formas pequeninas, com decisões instantâneas, durante o trânsito matinal. A conformidade à imagem de Cristo nem sempre é um grande evento demonstrado no centro da sua vida. Frequentemente é nos cantos escuros, nos lugares silenciosos. Mas se você realmente quer saber o que está acontecendo, a única coisa que você pode fazer é ler a Escritura e notar cada movimento e palavra que vem das mãos e boca de Cristo. O padrão da nossa conformidade é sempre ele.

Quando eu disse que precisamos deixar a nossa ansiedade ser parte desse esforço de moldar, eu quero dizer que não podemos buscar toda oportunidade para eliminá-la. Você não aprende com o que não existe. Você não é moldado pelo que você corta da sua vida. Se você quer aprender e ser moldado pela sua ansiedade, você tem que deixar ela ficar. Você precisa se entregar. Você precisa abrir os dentes cerrados e dizer: “Tudo bem, Deus. Tudo bem. Por favor, usa isso. Ensina-me.” E é o que ele vai fazer. Toda vez.

Por que iríamos querer ser moldados?

Mas por que você gostaria de ser moldado em primeiro lugar? Por que não colocar a eliminação como nosso objetivo, agendar algumas visitas com um conselheiro, um psicólogo ou um pastor e se livrar disso? Por que não ir ao médico e acabar com os sintomas com alguns remédios? Essas ferramentas podem ser bons recursos para nós que batalhamos contra a ansiedade. E bons conselhos bíblicos do nosso pastor é mais que uma vantagem — é uma necessidade. Eu já experimentei todas essas ferramentas ao longo dos anos e ainda experimento algumas delas. Porém, mesmo com essas ferramentas, a eliminação da ansiedade nunca é o fim da história. Nós precisamos pensar sobre o objetivo de nossas experiências, inclusive a ansiedade. E não podemos trazer esse objetivo a superfície sem questionamentos. No fim do dia, podemos muitas vezes perguntar uma das duas coisas: (1) como que me livro disso? Ou (2) como posso ser moldado por isso?

E aqui está a difícil réplica: se você escolhe a primeira questão, então você só ficará mais ansioso quando a ansiedade não for embora. É um ciclo vicioso, não é? Talvez seja tão vicioso que … não seja o que Deus quer para nós. Deus quer que sejamos moldados, e não simplesmente deixados tranquilos no nosso canto.

Em outras palavras, se Deus quer que sejamos conformados à imagem do seu Filho, então ele não quer uma vida luxuosa para nós. Claro, ele ama nos abençoar, de modo que podemos contar com mais generosidade da parte dele que podemos imaginar. Porém, não podemos confundir as bênçãos de Deus com o chamado de Deus para nossas vidas. São duas coisas bem diferentes. As bênçãos são dadas; os chamados são exigidos. Deus nos dá bênçãos, mas ele nos chama a nos conformarmos à imagem do seu Filho.

Se você não gosta disso, eu entendo. Eu realmente entendo. Mas você não vai se satisfazer com outra abordagem. Eu sei disso não porque sou esperto ou porque tenho o dom da presciência divina. Não posso prever o futuro de ninguém. Mas posso ver o que Deus revelou sobre ele e sobre quem nós somos. E você também. Está tudo na palavra dele: o grande livro preto.

Você e eu nunca estaremos satisfeitos ou realizados se não formos conformados a Cristo. Por que não? Porque fomos feitos para ter comunhão com Deus. Fomos feitos assim. E a conformidade a Cristo é o caminho para essa realidade. É o único caminho.

Então mesmo se você não quiser realmente ser moldado à imagem de Cristo, você ainda irá “querer” isso no final das contas. É o seu desejo mais elevado e mais profundo. Você e eu fomos feitos para comunhão com Pai, Filho e Espírito Santo.

Não desperdice a sua ansiedade

Eu acho que tudo que estou dizendo é: “não desperdice a sua ansiedade”. E desperdiçá-la pode ser fazer todo esforço para se livrar dela. Ela não entrou na sua vida porque Deus perdeu o controle do mundo. Ela está aqui justamente porque ele não pode deixar de controlar. Ele está esperando e pronto para usá-la na sua vida … se você deixar. Você só precisa orar para que o próprio Deus te dê a vontade de se render a ele para que ele possa usá-la. Essa é a razão de tudo que experimentamos na vida, afinal.


O livro Abatidos, mas não destruídos será um lançamento original Pilgrim. Em breve!

Por: Pierce Taylor Hibbs. © Pierce Taylor Hibbs, 2019. Website: http://piercetaylorhibbs.com/what-do-you-do-with-your-anxiety-let-god-use-it/. Traduzido com permissão. Fonte: “What Do You Do with Your Anxiety? Let God Use It.”

Original: “O que eu faço com a minha ansiedade?” Deixe Deus usá-la! © The Pilgrim. Website: thepilgrim.com.br. Todos os direitos reservados. Tradução: Guilherme Cordeiro. Revisão: Arthur Guanaes.

Imagem:  Unsplash

O ponto de vista deste texto é de responsabilidade de seu(s) autor(es) e colaboradores direito, não refletindo necessariamente a posição da Pilgrim ou de sua equipe de profissionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *